Love story ♥ cap 5

O resto do mês passou tão rápido que mal pude acreditar quando vi que já estava no dia da minha primeira ultra-sonografia, liguei para Nick, e ele me disse que já estava de pé e se arrumando para irmos, corri e me arrumei muito rápido para não me atrasar, era sábado e apenas 10h da manhã, desci as escadas e preparei um lanche pra mim, minha mãe me perguntou pra onde eu iria, disse á ela que sairia com Nick, ela sorriu. Para minha mãe o fato de estar com o Nick era um alivio, pra ela enquanto eu estivesse com ele, eu estaria muito bem protegida, e eu também me sentia assim ao lado dele.

Encontrei-me com Nick no ponto de ônibus, dei um beijo na sua testa e ele retribuiu com um abraço e perguntou: – Está ansiosa?

– Um pouco! Respondi sem hesitar.

Pegamos o ônibus, e com muita rapidez chegamos até lá , esperei a doutora chamar meu nome, quando chamou , entramos eu e Nick na sala , entramos de mãos dadas , sem nem ao menos perceber, a médica perguntou se era ele o pai do meu filho , respondi que não,  na mesma hora nós soltamos as mãos.

Fiz a ultra-som, Nick ficou bobo com a tecnologia, eu estava triste e ao mesmo tempo feliz por saber que eu carregava um novo ser dentro de mim, e nada me faria desistir daquela criança, afinal ela não era culpada de nada, eu estava de 3 meses, mas a felicidade bateu forte quando a doutora disse que tinha 90% de chances de ser uma menina, Nick mas do que ninguém sabia que sempre foi meu sonho ter uma menina, arrumar seus cabelinhos e tudo mais, veio antes da hora, mas mesmo assim eu queria aquela criança. Quando saímos da sala Nick me abraçou e disse: – Vamos ter uma menina, meu amor! E deu uma risadinha.

– Se essa filha fosse sua eu estaria muito mais feliz! Soltei sem pensar. E Nick ficou me olhando meio que surpreso com minhas palavras, e para tentar arrumar o que disse, me expliquei: – É que… Se você fosse o pai… Eu saberia que você ia estar do meu lado! Nick ria de mim enquanto eu tentava me explicar, ele me abraçou, colocou suas mãos no meu rosto, chegou mais perto e quase num sussurro, me disse: – Eu te amo! Eu fiquei sem reação, minha vontade era chegar mais perto e dar um beijo nele, mas porque essa vontade louca? Interrompi meus pensamentos e fui me deixando levar, cheguei cada vez mais perto dos lábios de Nick, quando percebi que estava tão perto a ponto de que qualquer menor movimento faria com que os nossos lábios se tocassem, eu me toquei e me afastei, virei as costas e fui andando deixando minha louca vontade de beijá-lo para traz, me senti tão envergonhada que o deixei lá, corri, peguei o ônibus, enquanto o ônibus começava a se movimentar, ele continuava lá imóvel. Em poucos minutos já estava em casa, quando cheguei não tinha ninguém lá, fiz um sanduíche, peguei um copo de coca-cola e subi para o meu quarto , troquei a roupa, coloquei uma camisetona e fiquei de calcinha, me sentei na cama e fiquei pensando nos “ E SE “ da situação . 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s